segunda-feira, 28 de novembro de 2016

7º Simbravisa realiza Ato Público em defesa do SUS e da democracia

7º Simbravisa realiza Ato Público
em defesa do SUS e da democracia
 
Atividade será no dia 28 de novembro, às 12 horas, no Centro de Convenções do Bahia Othon Palace, em Salvador 


Eixo estruturante da sétima edição do Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária – 7º Simbravisa, a articulação dos movimentos sociais com as políticas e ações da Visa e do SUS estará presente também em manifestação política no Ato Público em Defesa do SUS e da Democracia. Será na segunda-feira, 28, às 12 horas, na área comum do Centro de Convenções do Bahia Othon Palace.
 
A atividade será após a Conferência Movimentos Sociais e a Política de Proteção Social, a ser proferida por João Pedro Stédile. A conferência começa às 10h45, no Salão Ondina ABC.
 
“Contamos com sua presença para que este momento seja o encontro de pesquisadores, estudantes, docentes, trabalhadores de saúde e demais militantes e protagonistas de movimentos sociais e organizações da sociedade civil reunidos num grande encontro em Defesa do SUS e da Democracia”, convida Gisélia Santana Souza, presidente do Simbravisa.
Ato Em Defesa do SUS e da Democracia
 
Dia 28 de novembro, às 12 horas
Centro de Convenções do Bahia Othon Palace
Avenida Oceânica, 2294, Ondina, Salvador, Bahia

domingo, 6 de novembro de 2016

MANIFESTO da Associação Brasileira de Enfermagem em defesa da Saúde, Educação e Assistência Social - Não à PEC 241/55 de 2016


A Associação Brasileira de Enfermagem, nos seus 90 anos de existência vem dedicando seus esforços para a melhoria dos setores sociais no Brasil. Nos últimos 30 anos empenha-se na construção e na implementação do Sistema Único de Saúde, defendendo, de maneira inconteste, o princípio da saúde como direito do cidadão e dever do Estado.Com base nisto, no presente momento, vem a público manifestar profunda preocupação com a iniciativa proposta pelo Governo Federal da PEC 241, a PEC de contenção dos gastos públicos por vinte anos. A despeito da realidade econômica brasileira exigir o estabelecimento de medidas drásticas de cortes de gastos, esta PEC, especificamente, redundará em aprofundamento das desigualdades sociais. Ela compromete diretamente os investimentos em saúde, educação e assistência social, vulnerabilizando ainda mais milhões de brasileiros.
Somos a favor da responsabilidade fiscal nos gastos públicos, mas não pode incluir redução ou congelamento dos recursos destinados às áreas sociais, aos que mais precisam. Com certeza, há outros cortes que podem ser feitos, sem prejuízo dos investimentos para a produção da saúde, da educação e da assistência social, além do enfrentamento das consequências nefastas dos seus determinantes sociais. A garantia da vida com mais qualidade para a nossa população é indissociável da garantia de direitos sociais.
Saúde, democracia e cidadania, no nosso país, foram conquistas da luta política pela redemocratização do país. Não podemos incentivar ou ter retrocessos. Conclamamos os deputados federais que lutam pela democracia a se unirem conosco nesta luta. Saúde, educação e assistência social são direitos que devem ser garantidos não só no papel, mas no cotidiano das instituições. A ABEn defende uma nova política econômica que inclua formas de solução das contas públicas que respeitem a Constituição Cidadã.
Não ao desmonte do SUS!
Não à PEC 241/2016!

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

XVI FCCEEnf

 O Diretório Acadêmico de Enfermagem IdentiD.A.de com imenso orgulho e alegria apresenta a 16ª edição do Fórum Científico e Cultural dos Estudantes de Enfermagem (FCCEEnf). Espaço que proporciona a(o) graduanda(o) de enfermagem, momentos de discussão, organização, troca de ideias e experiências que possibilitam a união dos estudantes para agregar consciência crítica, questionar, propor soluções para os problemas e refletir sobre o seu papel social.         
             Nesta edição abordaremos o tema "O Protagonismo do enfermeiro: aspectos políticos, sociais e culturais da formação e atuação profissional.", pois protagonizar ou ser protagonista é ser personagem principal de uma narrativa, como obras literárias, cinematográficasteatrais ou musicais. O(A) enfermeiro(a) deve ser protagonista no seu exercício profissional, na arte da vida real, pois cabe a ele(a) a execução de sua ciência de forma a contribuir com a sociedade.
              O(A) enfermeiro(a) é um protagonista em seu ambiente de atuação profissional e deve ter ciência disso. Desde a atenção básica, passando pela intermediaria e chagando na alta complexidade, o(a) enfermeiro(a) é de fundamental importância no funcionamento dos serviços de saúde. Portanto o(a) enfermeiro(a) deve se embasar, para que assim possa ser efetivamente um protagonista aonde quer que ele atue profissionalmente.


Itamar Lages, docente da FENSG, Mestre em Saúde Coletiva pela UFPE, também é professor do Programa de Residência em Enfermagem, Residência multiprofissional em Saúde Coletiva e Residência em Psicologia e Saúde Mental. Ele estará conosco no XVI FCCEEnf participando da mesa de encerramento, se eu fosse você não iria querer perder a chance de aprender e aprimorar meus conhecimentos junto com este grande professor.
Se interessou? Quer se inscrever? Corre lá em nosso site:


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...