domingo, 27 de setembro de 2015

Transplantes de órgãos superam expectativas do Ministério da Saúde


Hoje, 27 de setembro, é o dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, uma data para incentivar a população a se tornar doador de órgãos. Mas, muitas vezes, esse ato é impedido ou complicado por questões burocráticas que comprometem a melhora dos índices brasileiros, comenta Heder Murari, coordenador do Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde.
O Brasil tem o maior sistema público de transplantes do mundo. Dados do Governo Federal apontam que alguns estados brasileiros, como o Rio Grande do Norte, já zeraram a fila de transplantes, porém ainda existe muita coisa a melhorar. Por essa razão, e em comemoração ao dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, o Ministério da Saúde apresentará um novo sistema de informação dentro da rede de transplantes, sendo capaz de gerenciar apenas uma lista de receptores através de uma plataforma tecnológica moderna.

Segundo Heder Murari, atualmente no Brasil, é exigido o laudo de dois neurologistas para comprovar o óbito nos casos de morte encefálica, já a nova proposta, de autoria do Conselho Federal de Medicina (CFM), sugere que nesses casos o laudo passe a ser realizado por dois médicos qualificados em terapia intensiva e não em neurologia.

"Vamos aproveitar para adequar o decreto à proposta do CFM, que é quem determina o critério de morte encefálica pela lei brasileira e, ao mesmo tempo, modernizar uma série de itens" acrescentou o coordenador.
As alterações estão previstas para encaminhamento à Casa Civil até o final de 2012. Nessa semana o Ministério da Saúde deve anunciar uma portaria que abrangerá a capacitação em transplantes, bem como instituir a atividade de tutoria em transplante.

A expectativa do Ministério é de que até 2015, todos os estados brasileiros consigam zerar suas filas de transplantes. Outra meta é contabilizar 15 doadores de órgãos a cada um milhão de habitantes. Apenas nos quatro primeiros meses de 2012, o Brasil registrou 13 doadores para cada um milhão de habitantes.
O Ministério da Saúde divulgou, ainda, que em comparação com o primeiro semestre de 2011, em 2012 o aumento no número de transplante foi de 12,7%, sendo que dos meses de janeiro a junho desse ano foram contabilizados 12.287 transplantes.
Os procedimentos que envolviam o pulmão foram os que mais tiveram aumento, logo depois seguem as cirurgias de coração, subindo 29% e de medula óssea, com aumento de 17%.
Em 2012 houve, ainda, um crescimento de 22% no número de doadores de órgãos, chegando em 1217 esse ano.

Conforme dados do Sistema Nacional de Transplantes do Ministério, até junho de 2012 foram realizadas 7.777 cirurgias de córnea, 2.689 operações de rim, 801 de fígado e 862 de medula óssea.

Ao todo o Ministério divulgou que houve 12,8 mil transplantes por um milhão de habitantes no primeiro semestre de 2012, “Nós certamente nesse ano chegaremos a uma taxa de doação muito maior do ano passado, superando as metas que nós tínhamos. As metas que tínhamos para 2013 já serão alcançadas no final de 2012” declarou Alexandre Padilha, ministro da Saúde.

Fontes: G1, O Estado de S. Paulo

MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Perfil da Enfermagem terá publicação em livros e revistas acadêmicas

Mais amplo levantamento sobre uma profissão já realizado na América Latina, a pesquisa Perfil da Enfermagem (Cofen/Fiocruz) vai se desdobrar em livros e artigos científicos. A estratégia de divulgação editorial, aprovada nesta quarta-feira (23/9) pela plenária do Cofen, amplia o alcance da pesquisa e seus desdobramentos.
Além do relatório final, publicado em 28 volumes com previsão de lançamento ainda em 2015, a estratégia inclui a publicação de artigos em revistas científicas de grande circulação e prestigio, e a publicação de livros, permitindo analisar em profundidade os dados. O relatório terá versão impressa e digital, disponibilizada gratuitamente online.
Os resultados foram lançados em cada Estado brasileiro, entre abril e setembro, e debatidos com os profissionais e gestores, em seminários com a presença da Fiocruz, Cofen e dos Conselhos Regionais de Enfermagem.
Plenária do Cofen aprovou estratégia de divulgação editorial que amplia alcance da pesquisa
Plenária do Cofen aprovou estratégia de divulgação editorial que amplia alcance da pesquisa
Um livro sobre a pesquisa, editado em parceria com a Fiocruz e a editora Prismas, será lançado em 2016. A mesma editoria deva lançar duas coletâneas relacionadas à pesquisa, a primeira sobre a formação da Enfermagem e a segunda sobre mercado e condições de trabalho.
Edição especial da Revista Enfermagem será dedicada à pesquisa, com lançamento em dezembro. A estratégia de divulgação editorial prevê ainda edições especiais da “Cebes – Divulgação em Saúde para Debate” e dos “Cadernos de Saúde Pública”, revista classificada como de maior impacto científico, com nota máxima em todas as áreas.
Políticas Públicas – A pesquisa foi realizada pela Fiocruz, por iniciativa do Cofen, com o objetivo de gerar dados amplos e confiáveis que permitissem avaliar a situação da profissão e propor mudanças. Seus resultados já subsidiam projetos de lei e propostas de políticas públicas, como os projetos da Lei do Descanso (PLS 597/2015) e da Proibição do Ensino à Distância na formação de profissionais de Enfermagem (PL 2891/2015). Propostos pelo Cofen, o primeiro foi apresentado pelo senador Valdir Raupp (PMDB – RR) e o segundo pelo deputado Orlando Silva (PC do B – SP).
Fonte: Ascom - Cofen

MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

O SUS não é de nenhum governo, é do povo brasileiro


O Conselho Nacional de Saúde, órgão superior de controle social do SUS – Sistema Único de Saúde, vem a público manifestar profunda preocupação com possíveis mudanças na direção do Ministério da Saúde.
Consideramos inaceitável que o SUS seja usado como objeto de barganha política, por ser a maior e mais importante política pública em curso no Brasil. Trata-se de um patrimônio e uma conquista de décadas de luta do povo brasileiro.
O ministro Arthur Chioro, militante histórico do SUS, sanitarista e gestor público de profundo compromisso social, é liderança técnica e política inconteste, além de defensor intransigente dos princípios constitucionais do SUS – e conta com nosso amplo e integral apoio.
Frente às diversas ameaças por que passa esse patrimônio popular, não aceitaremos qualquer recuo nos princípios da universalidade, integralidade, igualdade, equidade e participação social.
Não abriremos mão da defesa destes princípios, e de seu caráter público e gratuito, nem aceitaremos qualquer desrespeito ao controle social. Os Conselhos e a 15ª Conferência Nacional de Saúde são as instâncias que definirão as diretrizes e propostas para o SUS dos próximos anos.
Compreendemos as dificuldades do momento político e repudiamos toda e qualquer ameaça golpista, venha de onde vier. E também não nos calaremos frente a quaisquer ameaças às conquistas sociais, especialmente no campo da saúde.
Nem um passo atrás.
O SUS é um direito de todos e um dever do Estado, não uma mercadoria. Mantê-lo íntegro, universal e gratuito é uma missão da democracia brasileira.
Dessa luta, nunca abriremos mão.
Mesa Diretora do Conselho Nacional de Saúde,
em 23 de setembro de 2015.

MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

COFEN - A DESREFORMA DA LEI DA ENFERMAGEM


Além de querer aumentar o número de Conselheiros de 18 para 54, o Conselho Federal de Enfermagem propõe aumentar o tempo de duração dos mandatos em 30% e ainda com reeleição. A proposta também abre brecha para o Cofen arrecadar e concentrar mais dinheiro, na contramão do que prega a administração eficiente. 

Cria também uma "sabatina escrita" para você pegar a carteira profissional.
Não deixe o Sistema fazer o que bem entender com o seu dinheiro. Participe da consulta pública que vai mudar a lei da Enfermagem no Brasil.



Wellington Roma Lage 

Salvador - 21 de setembro de 2015

Participe  da Mudança a lei da Enfermagem AQUI.

MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

SAIBA TUDO SOBRE RESCISÃO INDIRETA


Serviços acima da força do empregado, rigor excessivo e descumprimento do contrato são alguns dos motivos que permitem ao trabalhador pedir rescisão do contrato e garantir os mesmos direitos do empregado que é dispensado sem justa causa. Saiba mais sobre a chamada rescisão indireta na entrevista com o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Augusto César de Carvalho.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Ministério Publico Recomenda que seja suprida a demanda na Escala da Enfermeiros da Maternidade do IBURA.


Recebemos essa semana a informação de que as Denuncias que formalizamos no final do ano passado sobre a falta de profissionais na Maternidade Arnaldo Marque no Ibura, começa a surtir efeitos.
No inicio de Julho a Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital, Defesa e Promoção da Saúde do Ministério Público de Pernambuco, Recomendou num prazo de 15 dias que a Secretaria de Saúde do Recife tomasse providencias para suprir a Carência de 06 Enfermeiros do Quadro de Profissionais da Referida unidade. Segundo informações obtida na PJS, a Secretaria de Saúde ainda não havia se manifestado e no oficio reiterando a recomendação seria enviados.

Ademir Luiz -Sindicalista

domingo, 6 de setembro de 2015

UNIDADE DE SAÚDE SÃO FRANCISCO-PALMARES

Recebemos novas denúncias do abandono do poder público municipal de Palmares a Unidade de Saúde da Família São Francisco, localizada na Rua Génesio Cavalcanti,nº 41, é mais uma das 16 unidades de saúde da família do município que encontra-se em estado deplorável. Desde que a gestão assumiu as unidades não sabem o que é uma mão de tinta, além do aspecto descuidado outro grande problema é a falta de materiais e equipamentos básicos para que os profissionais desenvolvam suas atividades, destacamos ainda falta de caixa para condicionamento correto de pérfuro cortantes, o que coloca em risco os profissionais que manuseiam, como a população que usa o serviço, moveis e utensílios enferrujados e quebrados além da falta de medicamentos básicos como: Dipirona, paracetamol dentre outros











MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Cofen propõe Lei do Descanso para Enfermagem

O Conselho Federal de Enfermagem apresentou, nesta quarta-feira (2/9), em audiência com o senador Valdir Raupp (PMDB – RO), proposta para a elaboração de lei garantindo um local de descanso digno para os profissionais de Enfermagem que trabalham em regime de plantão. A iniciativa foi acolhida pelo senador, que deve apresentar Projeto de Lei do Descanso ao Senado ainda na primeira quinzena de setembro.
“É uma proposta com enorme impacto social, com reflexo na Saúde do profissional e na segurança do paciente, e não traz um impacto orçamentário significativo”, afirmou o senador, que ouviu atentamente o presidente do Cofen, Manoel Neri, acompanhado da diretoria.
A ausência de locais adequados ao descanso foi uma das dificuldades relatadas pelos profissionais ouvidos na Pesquisa Perfil da Enfermagem (Fiocruz/Cofen), que apresenta um diagnóstico detalhado da profissão no Brasil. O espaço físico de repouso está presente em 51% dos locais de trabalho na rede pública, 49% na rede privada e 38% na filantrópica. Sem espaço apropriado, muitos profissionais mantêm o plantão sem intervalo ou repousam em condições precárias, sob os balcões de atendimento.
A exaustão física provocada pelas longas jornadas esta associado à redução do discernimento e aumento dos erros cometidos por profissionais de Saúde. O Estado do Rio de Janeiro já adota Lei do Descanso, de autoria da deputada enfermeira Rejane.
Fonte: Ascom Cofen
MONAENF - Mobilização Nacional da Enfermagem
Facebook: bit.ly/MONAENF
No Google+: bit.ly/MoNaEnF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...